Inteligência Artificial no Desenho Urbano: O que deves saber

Introdução

Há uma revolução a acontecer, e não está a acontecer apenas na indústria tecnológica. Está a desenrolar-se nas nossas cidades, particularmente no campo do planeamento e design urbanos. Para aqueles que estão a esfregar as têmporas em descrença, não o façam. Não se trata de mais um enredo distópico de um filme de Hollywood à espera de acontecer – a Inteligência Artificial (IA) está a encontrar aplicações reais no design urbano.

A espinha dorsal de muitas cidades cada vez mais inteligentes, os sistemas de IA estão agora a começar a ser utilizados por especialistas em ambientes de design urbano para enfrentar desafios e planear espaços urbanos mais habitáveis de forma eficiente. Curiosamente, é tão bom que foram dedicados livros dignos de leitura a este assunto fascinante. Um exemplo clássico é “Resilient Cities”, de Peter Newman, que finalmente coloca a IA no planeamento das cidades em foco, tendo como exemplos principais a cidade alemã de Friburgo e a cidade sul australiana de Adelaide.

Por isso, se estás a pensar como é que isto está a acontecer, vamos lá explicar tudo o que precisas de saber sobre a utilização transformadora da IA no universo do design urbano.

A intersecção da IA e do design urbano

A parceria entre a IA e o planeamento urbano não é exatamente algo que encontrarias em conversas à hora do chá. E, no entanto, é incrivelmente intrigante e cheia de potencial.

Analisar grandes quantidades de dados é um trabalho difícil para os humanos, e é aí que as capacidades da IA brilham. Compilando e decifrando diversos dados, tais como dados de tráfego, condições das estradas e comportamento dos peões, a IA permite que os planeadores urbanos desenvolvam soluções mais bem informadas para questões urbanas antigas – demasiado congestionamento, falta de lugares de estacionamento, gestão ineficaz da iluminação, etc.!

A IA melhora a consciência situacional

A aplicação da IA no design urbano não se resume a números e algoritmos. Pensa nisso como um tipo de consciência situacional possibilitada pela análise da IA, que pinta uma imagem precisa das experiências diárias do habitante da cidade.

Respira fundo. Imagina. Estás encarregue de melhorar o fluxo de trânsito de uma cidade movimentada. Com tecnologia de IA, como a análise de CCTV, torna-se possível fazer modificações em tempo real com base em cenários de procura/capacidade de tráfego para padrões de fluxo. A tecnologia de ponta, como a que se vê na tecnologia de controlo autónomo orientada para a IA da Oxbotica, pode ajudar a conceber e implementar sistemas de semáforos eficazes, inteligentes e dinâmicos, capazes de reduzir o congestionamento do tráfego e, ao mesmo tempo, minimizar as emissões. É giro, não é?

A IA no design urbano integrado

O design urbano é um campo integrativo que formula e sustenta a estética do design e os espaços públicos à escala urbana. É uma arena que reverbera com as percepções e reacções das pessoas. Adivinha, a IA pode dar uma grande ajuda aqui também!

Utilizando algoritmos de aprendizagem profunda, os designers urbanos podem agora explorar dados de imagens visuais reais de uma forma sem precedentes. O DeepArt, uma ferramenta alimentada por IA, por exemplo, analisa e classifica conjuntos arquitectónicos e fachadas com base na avaliação das pessoas, automatizando o trabalho muitas vezes subjetivo que costumava ser atribuído exclusivamente a designers urbanos.

Boyond AI: Aprendizagem automática ou ML

A expressão mais interessante da IA no mundo do design urbano é, sem dúvida, a aprendizagem automática (ML). Ao ensinar os programas de IA a aprenderem por si próprios, os programadores criaram algoritmos que podem mapear possíveis cenários futuros, o que pode levar o planeamento urbano e a previsão a outro nível.

Algo tão específico como o “Delve” da Sidewalk Labs, uma inovação orientada para o ML, utiliza modelação e simulações avançadas para ajudar as partes interessadas a visualizarem mais pormenorizadamente concepções urbanas alternativas em cenários imobiliários típicos. Marca mais um ponto para a eficiência da IA!

Conclusão

Abordar as questões subtis e complexas que afectam as cidades modernas não é uma tarefa fácil. No entanto, com o poder de fogo da IA na visualização de dados, previsão, otimização e tomada de decisões, o design urbano começa a parecer preparado para criar ambientes urbanos ainda melhores, mais sustentáveis e respeitadores para os seus habitantes.

E mesmo que ainda te estejas a perguntar como é que este mundo brilhante e de alta tecnologia dos algoritmos e da computação em nuvem se cruza com a indústria do tijolo e argamassa, como o desenvolvimento urbano, consola-te com o facto de não estares sozinho. Lembra-te, a melhor maneira de prever o futuro é criá-lo. Por isso, em vez de ficares espantado com o ritmo acelerado da tecnologia, talvez seja altura de aprender, adaptar e incorporar este fenómeno na nossa vida urbana diária, certo?

Em termos de planeamento urbano e design – à medida que as máquinas inteligentes continuam a tornar-se cada vez mais inteligentes, estamos a viver tempos excitantes! Certamente que isso merece um pouco de reflexão e admiração à medida que as rodas da tecnologia giram e giram, construindo cidades melhores, mais ensinadas, mais inteligentes e mais reactivas de amanhã. Caramba, IA, o que é que se segue?

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *