A conceção de cidades inteligentes pode melhorar os transportes públicos?

Introdução

À medida que as populações urbanas aumentam, coloca um grande desafio às cidades para acomodar convenientemente toda a gente. A preocupação continua a crescer à medida que milhões de pessoas inundam as cidades todos os anos, onde os sistemas de transporte tradicionais geralmente não atingem todos os objectivos. É aqui que entram os conceitos de cidade inteligente, que prometem inovação e desenvolvimento de alta tecnologia para uma melhor gestão dos serviços públicos, incluindo os transportes. Entre os vários chavões, um dos mais essenciais e impactantes é “design de cidade inteligente”. Mas a questão que se coloca aqui é: pode o design de cidades inteligentes melhorar os transportes públicos? Vamos analisar o “inteligente” do conceito de cidade inteligente, em que as funções da cidade são alimentadas por tecnologia digital, em especial tecnologia incorporada na infraestrutura.

O que é uma cidade inteligente?

Antigamente, as cidades eram concebidas de forma a fazer as coisas de forma convencional. Mas à medida que a tecnologia deu passos gigantescos, houve uma onda de mudança no processo de concetualização das paisagens urbanas. A modelação de uma “cidade inteligente” faz parte desse esquema grandioso. Uma cidade inteligente representa um ecossistema urbano conectado digitalmente, integrando perfeitamente várias tecnologias que terminam numa rede de serviços interligados, sociabilidade e sustentabilidade source. Estas cidades utilizam sensores, análise de dados e outras ferramentas tecnológicas para gerir a vida urbana de forma mais eficaz, melhorando simultaneamente a qualidade de vida dos residentes.

Cidade inteligente e transporte

Com razão, a principal atração de uma cidade mais inteligente seria o seu potencial para renovar os transportes públicos. As barreiras e ineficiências dos actuais transportes urbanos poderiam ser reduzidas, as avenidas em estradas congestionadas poderiam ser cortadas a tempo, e as dores das distâncias e as preocupações com as tarifas seriam uma coisa do passado. Esta metamorfose dos transportes públicos assenta essencialmente em três aspectos – mobilidade, bilhética e localização em tempo real.

Mobilidade

A substituição dos modelos tradicionais de transporte de função única por infra-estruturas multimodais é o caminho a seguir. Uma extensa gama de modos de transporte interligados, que supere a necessidade de veículos pessoais, será a marca registada das Cidades Inteligentes. Uma bicicleta ecológica até à paragem de autocarros mais próxima, e depois um autocarro elétrico até à estação de Metro local, as possibilidades são infinitas.

Sistema de bilhetes

As transacções electrónicas sem dinheiro, na ponta dos dedos, abriram novas possibilidades e estas possibilidades coloridas podem aumentar os métodos de pagamento em trânsito! As filas de espera e as dificuldades na compra de bilhetes podem ser alteradas através da utilização de cartões inteligentes e aplicações móveis, permitindo que os utentes desfrutem de viagens mais suaves.

Rastreamento em tempo real

A tecnologia das cidades inteligentes pode dar aos passageiros actualizações em tempo real sobre as condições de viagem. Os sensores inteligentes e os dispositivos da Internet das Coisas (IoT) melhoram a cobertura do seu potencial de captação de dados, desde dados sobre engarrafamentos de trânsito a lugares de estacionamento disponíveis. Muitas cidades, como Singapura e Estocolmo, estão a começar a implantar dispositivos e sensores com capacidade para a Internet das Coisas nas suas redes de transportes existentes para fornecer informações em tempo real e melhorar o desempenho.

Sinais de trânsito dinâmicos

Utilizando tecnologias de inteligência artificial (IA), as cidades já inteligentes estão a inovar ainda mais – um pequeno passo, mas um salto gigantesco, no sentido de um planeamento urbano eficiente. O rastreio da passagem de carros, autocarros e até mesmo do tráfego de peões contribuirá para a obtenção dos intervalos verdes ou do direito de passagem, reduzindo os congestionamentos rodoviários e melhorando a segurança rodoviária!

Infraestrutura inteligente

A requisição de infra-estruturas desempenha um papel vital na configuração da face moderna dos transportes públicos. Cada edifício da tua cidade pode servir um propósito preciso, ao mesmo tempo que contribui para o bem-estar das auto-estradas e intercâmbios, tornando a navegação pela metrópole mais eficiente. Um método elaborado que utiliza tecnologia que filtra o ruído para os passageiros adjacentes às rotas de transportes públicos Noise Cancelling Headphones tem sido apontado como um aspeto interessante da iniciativa de estradas inteligentes, parte da iniciativa de infra-estruturas inteligentes.

Participação pública e melhoria dos serviços

Milhares de milhões de pessoas utilizam os transportes públicos. As aplicações para cidades inteligentes permitem um melhor envolvimento com esta grande base de consumidores. Comunica inquéritos ao vivo, actualizações ao minuto e avisos importantes aos utentes diretamente através de aplicações para smartphones. Estes esforços aumentam a participação dos cidadãos e o controlo público.

Mitigando problemas relacionados ao meio ambiente

As iniciativas modernas de transportes públicos também podem ser vistas na conceção de políticas para a mobilidade eléctrica, reduzindo assim os pesados passos de carbono. Projectos ecológicos como autocarros movidos a energia solar ou trotinetas eléctricas já estão a funcionar com cores triunfantes em algumas cidades. A tecnologia das cidades inteligentes irá expandir exponencialmente estas iniciativas.

Conclusão

Em suma, a melhoria dos transportes públicos é fundamental para tornar as cidades mais habitáveis. No entanto, a mera adaptação de tecnologia inteligente aos sistemas actuais não funcionará. Para ver o valor real, a conceção da cidade desde a raiz tem de refletir a atitude de cidade inteligente, tocando assim questões socioeconómicas e ambientais muito mais amplas. Assim, os transportes públicos integrados na conceção de cidades inteligentes são seguramente uma situação vantajosa para todos: Não se limita a reinventar a conveniência à escala da cidade; é crucial para construir cidades sustentáveis e habitáveis, adequadas ao mundo futuro. No fim de contas, estes objectivos são recíprocos e não perpendiculares! Aperta o cinto de segurança e vê a viagem transformadora a que isto nos leva. Sim, estamos optimistas, mas incertos quanto ao trecho que esta autoestrada evolutiva percorre!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *