Quais são as melhores práticas para fazeres compostagem em casa?

Introdução

Já te perguntaste o que fazer com os teus restos de comida ou aparas de jardim? Em vez de os deitar para o lixo, que tal utilizá-los para aumentar a fertilidade do teu jardim? A compostagem é uma das técnicas mais ecológicas e economicamente viáveis de reciclagem de resíduos. Permite-te criar um solo rico em nutrientes, reduzir os resíduos e diminuir as emissões de carbono. Então, como podes começar a fazer compostagem em casa? Este artigo descreve as melhores práticas para fazeres compostagem em casa.

Entende o que é a compostagem

A compostagem é o processo natural de decomposição em que os resíduos orgânicos, como restos de cozinha ou folhas, são transformados num condicionador de solo rico em nutrientes. É uma forma fantástica de reciclar e, ao mesmo tempo, melhorar a produtividade do teu solo, o que significa plantas saudáveis e abundantes. Podes aprender mais sobre o assunto no site informativo BuildingSoil.org.

Determina o teu método

Antes de te lançares na compostagem, escolhe um método que se adeqúe ao teu estilo de vida e preferência. Tens três opções principais – pilha básica, caixote de compostagem e compostagem com minhocas. Se és um principiante, a tua melhor aposta é um compost bin. É resistente aos animais, simples de usar e limita qualquer possível cheiro.

Escolhe o teu lugar com sabedoria

Escolhe bem o teu local de compostagem. Deve ser de fácil acesso, perto de uma fonte de água (como uma mangueira) e parcialmente à sombra. Demasiado sol pode fazer com que o composto seque, enquanto que a sombra excessiva pode fazer com que fique demasiado húmido. Mantém as condições ‘Goldilocks’ – perfeitas – para um solo perfeito.

Composto indispensável

Precisas dos ingredientes certos para a tua pilha de composto – verdes e castanhos. Os verdes, como restos de fruta e vegetais, fornecem nitrogénio e são ricos em nutrientes, enquanto os castanhos, como folhas secas, feno ou papel, fornecem carbono e dão ao teu composto uma textura agradável. Não te esqueças que também vais precisar de água – os materiais de compostagem devem estar tão húmidos como uma esponja espremida.

O equilíbrio é fundamental

Equilibra o teu material de compostagem, alternando as camadas. Começa com os verdes (alto teor de nitrogénio) e depois adiciona os castanhos (alto teor de carbono). Ao alterares a pilha de composto numa proporção equilibrada, aumentas a sua produtividade. O ideal é que a proporção de castanhos e verdes seja de 30:1. Se a tua pilha começar a cheirar mal, é possível que a tua mistura esteja errada. Mas não te preocupes, resolver isto é fácil – basta ajustar adicionando mais azoto ou carbono em conformidade.

Manutenção regular

Para manter as coisas arejadas e acelerar o processo, mexe a tua pilha de composto periodicamente, cerca de uma vez por semana. Além disso, mantém a humidade para que a pilha fique húmida, mas não encharcada. Isto também ajuda a controlar o mau cheiro. Se mantiveres estes passos, o teu composto estará pronto em cerca de 1-2 meses.

Sabe o que não deves compostar

Saber o que não compostar é tão importante como saber o que compostar. A lista de proibições inclui coisas como restos de carne ou produtos lácteos (podem atrair pragas!), plantas doentes (podem espalhar doenças) e ervas daninhas (as sementes podem brotar na pilha!). Lembra-te, mantém-nos afastados do teu composto para uma jardinagem frutuosa e sem riscos.

Escolhe as ferramentas de compostagem certas

Os utensílios de compostagem correctos podem tornar a compostagem fácil e sem problemas. Podes beneficiar de um compost Turner, que torna o trabalho de revirar a tua pilha de composto muito mais fácil. Um termómetro de compostagem também te pode dar uma temperatura precisa – assegurando-te que a tua pilha está a “cozinhar” perfeitamente.

Conclusão

A compostagem doméstica é uma forma sustentável, económica e benéfica de reciclar os resíduos. Com as práticas eco-conscientes partilhadas neste artigo, estás armado para transformar os teus resíduos em solo rico e fértil – tudo pronto para fazer crescer o teu jardim vibrante. Além disso, com o humilde ato de compostar, estás a dar um passo significativo na redução dos resíduos dos aterros sanitários e na redução das emissões de gases com efeito de estufa. Então, estás pronto para aderir à compostagem?

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *